6 de maio de 2010

Voz

à Adriana Godoy (blogueira e mãe do Rafael desenhista)


a dona do Voz,
entre versos e verbos,
entoa cantigas ao vento
em seus olhos o abandono
se transforma em abrigo
em sua boca a palavra suave
se converte em labaredas
em seus lábios as sombras
acolhem a luz e o calor.

a sua voz não é aguda
nem rouca nem úmida
apenas uma linda canção.

10 comentários:

Carlota Joaquina disse...

Gostei da homenagem pra minha Cunhadão...

Adriana Godoy disse...

Mauro, fico lisonjeada de receber esses versos tão sensíveis e belos. Só posso dizer:muito obrigada!

Continuo lendo os seus poemas, mas ando sem tempo de comentá-los . Realmente, dá pra perceber o quanto você está cada vez mais inspirado. Beijo.

José Carlos Brandão disse...

Parabéns. A Adriana merece e o poema faz jus a ela.
Abraços.

Lara Amaral disse...

Homenagem merecida! Sou fã dessa moça de voz poética intensa.

Beijos aos dois!

Úrsula Avner disse...

Oi Mauro, prazer em conhecer seu espaço poético. Também admiro muito os poemas da Adriana com quem compartilho construções poéticas lá no Maria Clara Simplesmente Poesia. Bonita e terna homenagem... Grande abraço.

Mirze Souza disse...

Mauro,

Bela homenagem à dona da VOZ e de nós que por sua voz somos agraciados!

Lindo, seu poema!

Parabéns!

Abraços

Mirze

BAR DO BARDO disse...

Merecida.

Parabéns!

Danilo de Abreu Lima disse...

mauro.
linda e justa homenagem. também sou um dos que já homenagearam adriana, esta poeta incrivel, que canta as coisas do dia a dia, e sabe ver a poesia em toda toadaa em cada zoada- em cada voo. é uma voz imnpar.
abraços do
danilo.

Danilo de Abreu Lima disse...

mauro.
linda e justa homenagem. também sou um dos que já homenagearam adriana, esta poeta incrivel, que canta as coisas do dia a dia, e sabe ver a poesia em toda toadaa em cada zoada- em cada voo. é uma voz imnpar.
abraços do
danilo.

sopro, vento, ventania disse...

Belíssima homenagem, belíssimo poema.
Sou incondicional admiradora de ADriana.